Impacto do aumento do piso salarial da Fisioterapia

Escrito em 17/09/2017
Carlos Iuri

O aumento do piso salarial é uma das questões mais discutidas na Fisioterapia e a última empreitada legislativa a respeito do tema foi arquivada em 31/01/2015 na Câmara dos Deputados, que fixava a remuneração mínima em R$ 4.650,00. Em 2017, o Estado do RJ, por exemplo, estabeleceu o valor base de R$ 2.899,79 e no site do SINFITO-RJ é possível visualizar a progressão ano a ano até então.


Essa vertente da luta pela valorização profissional esbarrou no sistema que foi edificado por médicos empresários. Com sucessivas majorações do custo com empregados fisioterapeutas, muitos estabelecimentos fecharam ou reduziram os respectivos serviços, porque a margem de lucro passou a ser ainda menor do que era para volumes de atendimento cada vez maiores, ou seja, muito trabalho para pouco resultado financeiro, a considerar a dominância da assistência através de planos de saúde.

Quanto é a margem de contribuição do fisioterapeuta para formação do lucro de uma empresa?
Se você ainda não sabe responder essa pergunta, conheça então o cálculo do custo desse profissional como funcionário, considerando o preço, o tempo e o número de atendimentos necessários para que o empregador consiga atingir o ponto de equilíbrio dessa contratação, a partir das referências de postagem anteriorPara isso, clique no botão abaixo, selecione a opção "funcionário" e siga as instruções da coluna G - leia com atenção - e observe o comportamento das demais variáveis a partir da fixação do parâmetro remuneratório na célula F1.