Por que empreender na Fisioterapia?

Escrito em 27/06/2019
Carlos Iuri

Quando eu resolvi cursar Fisioterapia, não possuía informações suficientes acerca do mercado no qual pretendia atuar e, mesmo após formado, precisei de algum tempo até descobrir que a realidade "Nilton Petrone" se aplicava à minoria, ou seja, configurava exceção e não regra. Em outras palavras, emprego não era necessariamente o que nos esperava e o panorama ainda continua pouco amistoso. Confira abaixo o relatório de vagas extraído nesta data na Catho, para a cidade do RJ-Grande Rio em 13.10.2015.



Salário
Qtde
Período
Qtde
a combinar
8
13.10.2015
1
até R$ 1.000,00
2
últimos dois dias
1
a partir de R$ 1.000,00
5
últimos três dias
1
a partir de R$ 2.000,00
3
última Semana
2
-
-
últimos 15 dias
5
-
-
último mês
9
Total
18


19


Considerando os dados acessíveis, resta evidente que a oferta de vagas é insuficiente, bem aquém da demanda, bem como poucas são as empresas dispostas a pagar o piso salarial da categoria e a maioria inclinada a realizar acordos de trabalho à margem da legislação, provavelmente fundadas no famigerado "percentual de participação". Ora, se as doenças crônico-degenerativas incidem e prevalecem cada vez mais, logo, a Fisioterapia se faz ainda mais necessária, por que há poucos postos de trabalho para fisioterapeutas?



Não é uma questão tão complexa de desvendar, porque conforme já dito em publicação anterior, para qual sugiro a leitura, não somos nós a maioria de Gestores e sim empresários, majoritariamente médicos, que têm repensado manter os serviços de Fisioterapia por conta da baixa lucratividade, especialmente junto aos Planos de Saúde. Veja que o "barco ficará à deriva", excelente momento para empreender e demonstrar para o grande público o que a Fisioterapia pode proporcionar de melhor, a já comentada UTILIDADE, agregando ao trabalho o valor que somente a categoria pode fazer.



"Mas onde ficará a segurança quando eu resolver empreender?" Na sua capacidade de minimizar os riscos inerentes a este processo, que possui etapas e métodos de controle já conhecidos. Se você, fisioterapeuta, não acreditar, quem deverá crer? Então, o que você está esperando para começar? Informe-se navegando por este site e vá em frente: o mercado é nosso!